O ano é 2019

O ano é 2019

Estava há pouco ouvindo novamente antigos Nerdcasts que considero memoráveis, dentre eles, o #108- Blade Runner e a Distopia Noir Futurista. Como fã inveterado de Blade Runner (do filme de Ridley Scott), do livro Do Androids Dream of Eletric Sheep de Philip K. Dick até toda produção subseqüente do Movimento Cyberpunk, cometi o erro mortal de ter deixado passar naquela oportunidade de assistir ao vídeo recomendado por Alottoni sobre o jogo para PC de 1997 inspirado no filme.

Continuar lendo “O ano é 2019”
Star Wars: The Force Unleashed – Um viva ao Yoda com sabre-de-luz

Star Wars: The Force Unleashed – Um viva ao Yoda com sabre-de-luz

LordVader

Recentemente, obtive, joguei e terminei um dos jogos da franquia Star Wars mais esperados dos últimos anos. Produzido, como de costume, pela LucasArts (pertencente ao grupo da Lucasfilms e, por extensão final, ao Papai Papudo George Lucas) e lançado em setembro de 2008, The Force Unleashed causou um certo furor por alguns certos motivos. O game chegou para o PC com seu conteúdo expandido, intitulado Star Wars: The Force Unleashed: Ultimate Sith Edition apenas em novembro de 2009.

Continuar lendo “Star Wars: The Force Unleashed – Um viva ao Yoda com sabre-de-luz”
Críticas de um nerd raivoso

Críticas de um nerd raivoso

SPOCK!

Alguns artefatos ou costumes fazem parte, via de regra, de um dia-a-dia ou rotina de um nerd. Nem todos portam-se da mesma forma em relação a tudo que é considerado “nerd”, afinal, a gente não tem uma cartilha escrota dizendo como devemos nos vestir, o que ver e nem nada assim. Ser nerd está num patamar acima da padrozinação medonha. Contudo, sem dúvida nenhuma o universo dos jogos eletrônicos faz parte do universo nerd, embora nem todo nerd seja um fanático por games e nem todos os fanáticos por games sejam nerds.

Continuar lendo “Críticas de um nerd raivoso”

Free as a bird

Free as a bird

Bom, sou músico, vocês sabem. Não sou guitarrista, mas acho  incrivelmente entediante e um pouco motivo de vergonha alheia jogos como Guitar Heroes, uma vez que para além das músicas memoráveis que fizeram e fazem parte das nossas vidas, eles nos ensinam um pouco de coordenação motora que é esperada de um macaco. Continuar lendo “Free as a bird”