Que seja Jazz

Que seja Jazz

Foi já com algumas cervejas na cabeça que resolvi voltar para casa depois de uma boa conversa de bar com alguns amigos. Claro, a pé, já que a verba não permitia nem uma moto vagabunda. Pensando na vida, como todo bêbado sozinho eventualmente faz, cruzei a frente de um bar tranquilo, humilde, onde um pequeno e modesto grupo apresentava talentosamente um bom jazz. Continuar lendo Que seja Jazz

Jornada nas Estrelas em Jazz!

Jornada nas Estrelas em Jazz!

Lembro-me quando mais novo das músicas que ouvia por tabela quando meu pai colocava um disco de vinil ou um CDCompact Disc – no aparelho, obrigando ao pobre aparelho executar um repertório bastante variado de estilos musicais. Mas falarei aqui de um estilo bastante particular, o jazz, sendo mais específico ainda o conhecido como “Vocal Jazz”, isso, aquele jazz cantado por cantores de vozeirão ou divas nos Estados Unidos das décadas de 30, 40 e 50.

Continuar lendo “Jornada nas Estrelas em Jazz!”

See ya, Space Cowboys

See ya, Space Cowboys

Um dos animes mais cultuados e aclamados dos anos 90 vai ganhar uma versão live-action. Isso muito me assusta, porque sou uma das adoradoras desta obra de arte, que une cultura pop, uma boa história, ação e personagens maravilhosamente bem construídos. Cowboy Bebop é um dos melhores animes que já vi na vida (e olha que foram muitos) e tenho pavor de saber essa notícia, pois com isso me acompanha a certeza de que será uma merd@ catástrofe.

Continuar lendo “See ya, Space Cowboys”

Chuva com Jazz Fusion

Chuva com Jazz Fusion

Está caindo um pé d’água lá fora enquanto dedico meu fim de sábado aos meus álbuns de jazz. Eu bem que desconfiava. Me desculpem os leitores mais entendidos de Jazz Fusion que lêem o Ao Sugo, mas sabia que The Manhattan Project tinha um pé no Weather Report, agora entendi tudo, agora entendi as virtuoses e o som esotérico fazem dos dois álbuns tão fantásticos e, não sabia, tão próximos. Continuar lendo “Chuva com Jazz Fusion”

Aperte o Play, por favor

Aperte o Play, por favor

Lembranças sonoras. Pro meu pai.

São 3:56 da madrugada quando iniciei este artigo, um texto que marca o retorno às atividades do Ao Sugo que por tanto tempo ficaram no Pause. Ah sim, humildemente nos desculpamos. Para quem? Bom, temos alguns leitores por aí pela internet que volta e meia, quando chega 3:56 da madrugada e querem ler alguma besteira ou papo-furado, digitam o nome do site no Google e por aí vai. Portanto, mil desculpas queridos leitores, espero que estas bolhas de ausência de textos novos não reapareçam tão cedo. Continuar lendo “Aperte o Play, por favor”