Que seja Jazz

Foi já com algumas cervejas na cabeça que resolvi voltar para casa depois de uma boa conversa de bar com alguns amigos. Claro, a pé, já que a verba não permitia nem uma moto vagabunda. Pensando na vida, como todo bêbado sozinho eventualmente faz, cruzei a frente de um bar tranquilo, humilde, onde um pequeno e modesto grupo apresentava talentosamente um bom jazz.