A Moral da História

A Moral da História

Acreditem, o meu Neverending Story finalmente chegou. Possui 445 páginas, com ilustrações e tudo mais, mas ainda não poderei começar a leitura. Por quê? Bem, talvez isso destrua a minha imagem perante muitas pessoas e até mesmo leitores do Ao Sugo, mas, rs, não dá: estou terminando de ler só agora o Harry Potter and The Deathly Hallows. Ganhei o livro em setembro do ano passado da minha mãe, mas estive tão atolado de coisas para fazer para a universidade que não pude ler naquele momento. Em todo caso, futuramente eu retorno para comentar o último livro (último mesmo? Ao que parece, JK Rowling já admitiu a possibilidade de continuar a escrever, mesmo estando mais rica que a rainha da Inglaterra).

Continuar lendo “A Moral da História”
Conectado no Cyberpunk

Conectado no Cyberpunk

ois é, desde os anos 60 do século passado que a Ficção Científica começava a duvidar do motor que a criou, o progresso e a ciência, reflexo dos problemas sociais e ambientais que começavam a pipocar num nível exorbitante em todo o mundo. Aí surgem os “pais” do que no futuro seria chamado do “Movimento”, posteriormente “movimento cyberpunk”, por exemplo com Philip K. Dick e seus Replicantes em Do Androids Dream of Electric Sheep, livro que posteriormente inspiraria a grande obra do cinema Blade Runner Continuar lendo Conectado no Cyberpunk

Phantásien

Phantásien

Olá mais uma vez! Hoje começarei um tópico bastante inicial que espero prosseguir futuramente, assim como o Marcus vai querer também participar da empreitada. Devo avisar-lhes da minha motivação principal (e que foi certamente uma das razões por eu ter aberto este blog): soube há poucos minutos que um livro que comprei pela internet já está nos Correios da minha cidade. O livro (e espero que o Marcus comente aqui, assim como vários outros leitores do Ao Sugo que entendem um pouco mais do que eu sobre a obra) é velho, bastante velho, de Michael Ende e publicado originalmente em 1979 na Alemanha como Die Unendliche Geschichte Não entendeu nada? Pareceu alemão para você também? Bom, em inglês: The Neverending Story e em português, caso lhe refresque a memória, A História Sem Fim.

Continuar lendo “Phantásien”