Retorno de Jedi

Eu vou começar este artigo com uma afirmação muito verdadeira (ao menos pra mim): Star Wars – Episódio VI: O Retorno de Jedi é o melhor filme da Trilogia Sagrada e da Nova Trilogia. Mas também vou ser sincero em dizer que não sustento essa afirmação por muito tempo (e me volto a admirar efusivamente “O Império Contra-Ataca”, vejam só) só por causa daqueles malditos ewoks. É isso mesmo. Detesto aqueles ursinhos carinhosos que, quase literalmente, caíram de pára-quedas no Episódio VI. Quando observamos toda a história de “Star Wars – Episódio VI: O Retorno de Jedi” podemos perceber as “portas se fechando” na história: já sabemos que Darth Vader é o pai de Luke Skywalker, já intuímos que há algo de muito estranho (e não é romance) entre Luke e Leia, sabemos, por meio de um diálogo entre Mestre Obi Wan Kenobi e Mestre Yoda ao final do Episódio V, que “há outra esperança”,  Han Solo, o canastrão pirata espacial está congelado em carbonita pelo infame Jabba, o Hutt, temos um Vader mais exausto logo ao início do Episódio VI, bem diferente daquele Lord Sith que invade com suas tropas imperiais a base rebelde em Hoth ao início do episódio anterior e sabemos, muito bem logo ao início do Episódio VI, que o próprio Imperador Palpatine dará o ar de sua graça na segunda Estrela da Morte

Ou seja, temos absolutamente tudo para ter o melhor de todos os filmes da Trilogia Sagrada, mas aí George Lucas, faminto pelo Lado Monetário da Força, decide vender mais bonequinhos e joga na história os Ewoks. Sim. Em meio a um conflito entre as forças rebeldes e imperiais surgem os ursinhos de pelúcia ambulantes. Antecipo-me a críticas do tipo: “ah, varias espécies estavam envolvidas direta ou indiretamente nesse conflito, porque não mostrar uma espécie “praticamente indefesa” em meio a esse conflito?” Sabe o que respondo a essa pergunta? Que isso é balela. Se fosse realmente interessante mostrar “outras espécies em meio ao fogo cruzado entre a Rebelião e o Império” que fossem mostrados os Wookies. Mas não foi o caso. E a inclusão desses ursinhos pompom atrapalha, por demais, o Episódio VI? Seguramente a minha resposta é não. E vou confessar que, mesmo que atrapalhe, em geral “pulo” os momentos de inclusão dos Ewoks no filme e não, não perco nada com isto.

Retorno de Jedi

O Retorno de Jedi” é um filme que se mostrou uma excelente “continuação” de “O Império Contra Ataca”. A carga de drama – e não dramalhão como na Nova Trilogia – é bem distribuída, especialmente quando assistimos ao “descongelamento” de Han Solo por Leia ou a “morte” de Mestre Yoda e a descoberta, por Luke Skywalker, de que Leia era sua irmã gêmea. Os diálogos entre Mestre Obi Wan e Luke Skywalker são carregados de peso, cuja medida é sempre a tragédia, seja pela “morte em vida” de Anakin Skywalker como Darth Vader ou o momento que Darth Vader descobre que Luke tinha uma irmã gêmea, descoberta essa que “coroaria o fracasso de Obi Wan (sempre ele!)”. É n’“O Retorno de Jedi” que podemos ver o Imperador Palpatine em seu “esplendor” Sith, com toda a sua capacidade de manipulação e poder, é neste filme que podemos visualizar e entender adequadamente todos os mecanismos psicológicos que regem o Dark Lord of the Sith.

O Retorno de Jedi” é o encerramento de uma trilogia (quando trilogias ainda não eram “obrigatórias” para se contar uma história no cinema) com chave de ouro e tem, em um de seus momentos, minha cena favorita de todos os filmes de Star Wars: quando Luke Skywalker se esconde de Darth Vader (não desejando lutar com seu pai), mas revela, em pensamentos, que tem uma irmã gêmea. E caso ele, Luke, não aceitasse o Lado Escuro da Força, talvez ela aceitasse. É o estopim pra fúria de Luke Skywalker! Tudo é magistral neste momento: trilha sonora, coreografia, a risada sinistra do Imperador e, finalmente, a queda de Vader e o convite, feito pelo Imperador, para que Luke Skywalker tome o lugar de seu pai. Por fim, a recusa do último Jedi.

Leia

É, neste momento, eu, que já assisti a Sagrada Trilogia 93 vezes (sem contar na TV), choro mesmo. Choro com o momento em que Luke grita, pedindo auxílio ao seu pai e Vader olha para o filho e depois para o Imperador, para o Imperador e depois para o filho. É *&¨%¨$&. Se em “O Império Contra Ataca” temos a revelação de que Vader é pai de Luke, em “O Retorno de Jedi” temos a escolha do pai pelo filho e não pelo poder (representado pela continuidade ao lado do Imperador). É uma história tipicamente trágica, familiarmente trágica, o que a deixa muito mais rica.

Poderia discorrer mais e mais sobre como “O Retorno de Jedi” é o melhor filme da Trilogia Sagrada e da Nova Trilogia, mas daí me lembro dos Ewoks e me desanimo. Espero, ainda, fazer uma edição cortando cada momento que aqueles ursinhos pompom aparecem no filme. Daí sim vamos ter o melhor filme de todos de Star Wars.

Ben Hazrael, el jedi fremen con chipotle, diretamente do Cabaré das Ideias para o Ao Sugo

Leia também

Artigo de Ben Hazrael sobre O Império Contra-Ataca

Artigo de Ben Hazrael sobre política em Star Wars

3 comentários »

  1. Os wookies ficariam bem melhores, apesar de ver os Ewoks como uma aproximação infantil do filme, como você mesmo disse, tem vários elementos muito bons.
    Agora será que os pequeninos Ewoks (eu adorava os desenhos quando criança) são para vender bonecos, ou foram um meio de fazer mais filmes (Caravana da Coragem 1 e 2) não sei, mas se fossem os Wookies o filme seria muito mais foda, e ficaria muito mais compreensível os Stormtroopers perderem para grandes bichos peludos, do que para pequenos bichos peludos.

    • Então, eis a questão… Mas creio que o apelo infantil (logo, monetário) falou muito mais alto e, pronto, estava lá escalado todo o elenco de Willow, só que agora escondido em muita pelúcia…

      Abração,

      Victor Hugo

  2. E ainda tinha gente que reclamava do Jár já, esse troço são muito piores do que eles, parecem mais ursinhos carinhosos endiabrados, porque o George Lucas colocou essas criaturas no filme, O retorno de Jedi só não foi um filme ruim, porque o desfecho da relação de Anakin\Vader e Luke foi muito emocionante e significativo para a franquia e para o cinema, se não fosse isso eu teria odiado esse filme, pois foi cansativo e enjoativo, não chegou aos pés de O império contra-ataca e Uma nova esperança, ambos foram incríveis.
    George Lucas parece que tem minhoca no cérebro, depois do que fez com o retorno de Jedi, estragou a segunda trilogia que tinha tudo para ter sido tão boa quanto a clássica, O filmes não chegam a ser ruins mais são decepcionantes, o único que eu gostei de verdade foi A vingança dos Sith que ao meu ver está a altura da trilogia original, o filme foi emocionante demais e deixou a história do Vader mais significativa e emocionante de se ver, eu lembro que quando o Vader morreu eu chorei ainda mais quando me lembrei do passado dele, de como a felicidade dele durou tão pouco e sua vida se tornou tão triste. Acho que a segunda trilogia ajudou bastante Star wars a ganhar mais significância e ficar mais emocionante do que já era.

Deixe um comentário elegante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s