Caros leitores, hoje cometerei a audácia (ou a infâmia) que apenas o Ben Hazrael é capaz de cometer no nosso estimado Cabaret d’Idées: apresento-lhes a primeira lista maldita dos top 10 alguma coisa! Em 9 de outubro de 2010 eu cometi o “equívoco” de escrever um especial gigantesco sobre Arquivo-X, o que rendeu várias visitações e vários pedidos de continuação. Depois de tanto tempo e de tanta promessa, aqui vai a continuação. Pensei inicialmente em fazer uma lista dos episódios da Mitologia, algo que renderia tantos outros posts e não apenas um. Pensei então em fazer uma lista dos 5 melhores episódios (por temporada) não relacionados com a Mitologia. Sentei aqui com os guias de episódios e percebi que a tarefa é impossível. Falhei miseravelmente…

Cheguei no meio termo de fazer uma espécie relação dos highlights de cada temporada, sem me prender unicamente na Mitologia, nos episódios fechados e, o mais importante, num ranking que define qual é o melhor ou pior episódio da lista. Isso eu deixaria para vocês fazerem aqui nos comentários. Para não deixar a empreitada sem uma regra orientadora, decidi relacionar apenas 10 episódios por temporada (respeitando a data de exibição), hoje começando com a primeira. Não farei o background do lançamento de uma das sérias mais famosas de todos os tempos: para isso fiz o especial gigante já supracitado (e você que tome vergonha na cara para lê-lo COMPLETAMENTE, nas suas duas partes).

Vale dizer que a primeira temporada de Arquivo-X é, apesar de bastante criticada por alguns fãs, repleta de episódios dignos de nota, pautando a cara ou o tom do seriado nos anos subseqüentes. Ao contrário da maioria dos seriados em que a primeira temporada se resume na equipe procurando acertar a mão na coisa toda, sempre ficando aquela impressão de “território desconhecido”, atuações incertas, roteiros bastante incipientes e tantas outras “caneladas”, Chris Carter decidiu usar tudo isso em seu favor. Para “esconder” as atuações incertas de atores que estavam se conhecendo, Carter decidiu mostrar logo no primeiro episódio a situação forçada de juntar os dois agentes do FBI, de áreas e orientações tão distintas em um projeto comum. Não só a equipe de produção e atores estavam se conhecendo, assim como os próprios personagens principais estavam tendo seus primeiros encontros.

  • Deep Throat (1X01 – Exibido em 17 de Setembro de 1993)Arquivo-X lança a Mitologia na cara dos telespectadores logo no segundo episódio da primeira temporada. Neste episódio nós conhecemos o primeiro informante de Mulder, um agente do alto escalão que lhe informa sobre os governos secretos dentro do governo e a existência de uma conspiração alienígena que tem ampla participação das principais potências mundiais. Como que para agradar aos paranóicos e nerds que adoram os temas envolvendo a Ufologia, em Deep Throat os agentes visitam a Área 51, nomeada no episódio como Base Ellis. Critiquem o quanto quiser, mas este episódio mantém a estrutura básica de quase todos os episódios da Mitologia que vieram nos meses seguintes. Destaque para a atuação de Jerry Hardin como Garganta Profunda.
  • Squeeze (1X02 – Exibido em 24 de Setembro de 1993) – Introduzindo a outra temática do seriado, a paranormalidade, em Squeeze conhecemos um assassino serial que consegue se esticar e se espremer de maneira nunca antes vista. Longe de ser o Homem Borracha, Victor Eugene Tooms carrega consigo várias mutações genéticas que lhe permite, com a ingestão regular de fígados humanos, hibernar por vários anos e ser quase imortal. A atuação do novato Doug Hutchison com Tooms é digna de louvor, trazendo ao episódio (e ao seriado) o tom de paranormal e “grotesco” que não era visto na televisão norte-americana desde Twin Peaks.
  • Shadows (1X05 – Exibido em 22 de Outubro de 1993) – Este episódio fechado apresenta uma história assustadora sobre uma funcionária de uma empresa de tecnologia que possui um guardião sobrenatural. Apesar do ceticismo de Scully, Mulder acredita piamente que a funcionária está sendo protegida por seu falecido chefe, presenciando várias coisas literalmente ASSOMBROSAS durante o episódio. Apesar dos clichês dos melhores filmes de aparições, Shadows é um dos episódios mais assustadores já lançados no seriado, merecendo nota 10.

  • Ice (1X07 – Exibido em 5 de Novembro de 1993) – Neste episódio os agentes Mulder e Scully visitam uma instalação de pesquisa no Alaska cujos pesquisadores se mataram de maneiras misteriosas. Como homenagem direta ao filme “The Thing” (de John Carpenter, 1982), Ice é um dos únicos episódios do seriado que se constitui num thriller de terror com direito a aparição de Entidades Biológicas Extraterrestres.
  • Fallen Angel (1X11 – Exibido em 19 de Novembro de 1993)Mulder recebe de seu informante misterioso a informação de que um Objeto Voador Não-Identificado caiu nos Estados Unidos, com as operações de resgate dos militares prestes a serem realizadas. Correndo contra o relógio, Mulder consegue as suas primeiras fotos de uma nave espacial alienígena, conhecendo no meio do caminho Max Fenig, um entusiasta da Ufologia que revela ter tudo inúmeras experiências de abdução alienígena. Notável atuação do canadense Scott Bellis como Fenig, sendo convidado para participar de um episódio duplo no quarto ano do seriado.
  • Beyond the Sea (1X12 – Exibido em 7 de Janeiro de 1994) – Um sentenciado à pena de morte alega ser psíquico capaz de ajudar os agentes Mulder e Scully na resolução de um seqüestro, pedindo no entanto o alívio da pena caso ajude os nossos heróis. Com a primeira inversão radical dos papéis, neste episódio Mulder se mostra incrivelmente cético, enquanto Scully se apresenta como crente e abalada: o sentenciado Boggs afirma ter uma mensagem póstuma do pai de Scully para ela. Atuação imperdível de Brad Dourif (conhecido mais amplamente como o Língua de Cobra nos filmes de O Senhor dos Anéis), além do destaque e Prêmio Ao Sugo para a abertura mais tenebrosa da primeira temporada.

  • Gender Bender (1X13 – Exibido em 21 de Janeiro de 1994) – Vários assassinatos seriais envolvendo uma noite de sexo e uma gosma nojenta saindo da boca das vítimas atrai a atenção de Mulder e Scully para o caso inexplicável. Após a suspeita de quem é o assassino os agentes são levados para uma aldeia isolacionista de estilo Amish que, na verdade, revela ter seus zilhões de fantasmas no armário, além do final estarrecedor de que “existem mais coisas entre o céu e a Terra do que pode imaginar a tua vã filosofia”…
  • E.B.E. (1X16 – Exibido em 18 de Fevereiro de 1994) – Neste episódio Mulder e Scully confrontam pistas falsas de Garganta Profunda que na verdade ocultam o transporte de uma Entidade Biológica Extraterrestre pelas estradas dos Estados Unidos. Diretamente ligado à Mitologia do seriado, EBE mostra alguns dos dispositivos e instalações secretas especializadas do governo norte-americano cujo fim é lidar com a presença alienígena no planeta. Primeira aparição dos Pistoleiros Solitários. Show, show.
  • Darkness Falls (1X19 – Exibido em 15 de Abril de 1994) – De quebra um dos meus episódios prediletos, Mulder e Scully viajam para perto do Oregon para investigar a misteriosa morte de madeireiros na Floresta Nacional de Washington. De razões obviamente desconhecidas, em seu desmatamento desenfreado os madeireiros acabam libertando algo terrível e sem controle que acaba condenando a todos… ahhh se fosse na Amazônia eu faria uma camiseta e parabenizaria de pronto estas coisas sobrenaturais…
  • The Erlenmeyer Flask (1X23 – Exibido em 13 de Maio de 1994) – Agora demarcando oficialmente a existência da Mitologia no seriado, neste episódio os agentes Mulder e Scully investigam o desaparecimento de um cientista seguindo orientações de Garganta Profunda. Na investigação os agentes acabam conhecendo as pesquisas destes cientistas que envolvem o “Controle de Pureza”, a tentativa de hibridização de vírus alienígenas em corpos humanos. Final aterrador e genial, solidificando de vez a chegada de Arquivo-X na televisão.

Espero que este breve post tenha servido ou para relembrá-lo destes episódios memoráveis ou, melhor, atiçar a vontade de você para rever a primeira temporada do seriado, bastante criticada por alguns. É evidente que vários episódios dos 23 ficaram de fora desta lista, deixando a oportunidade para você comentar mais abaixo. Caso queira saber mais sobre o seriado, basta ler (mais uma vez) os nossos artigos sobre Arquivo-X, sempre sabendo que algo vai inexoravelmente ficar de fora. Afinal, a verdade ESTÁ lá fora.

Victor Hugo, querendo muito acreditar

Victor Hugo Kebbe

Nerd, Antropólogo Japanologista, Bibliotecário do Novo Canon e do Velho Universo Expandido de Star Wars, Dragonborn, Witcher, Vault Hunter, exímio piloto de A-Wing, combatendo os Geth e Reapers até os dias de hoje.

5 comentários »

  1. Acho que Arquivo X é um marco para as séries de ficção científica que saíram da mesmice de ter um episódio com mocinhos e mauzinhos brigando, para os bonzinhos se darem bem no final e prosseguir viagem. Ela introduziu um lado sombrio, pesado, conspiracionista, onde nem sempre os mocinhos se dão bem. Ao contrário, quem acompanhou a série inteira viu quantas vezes os dois erraram e se ferraram por conta do trabalho e das decisões que tomaram. Uma pena que a ficção científica hoje esteja desfalcada de séries desse tipo.

    Abraço!

    • Concordo plenamente, é realmente “uma pena que a ficção científica hoje esteja desfalcada de séries desse tipo”. Aliás, arrisco mais: tenho a impressão que a televisão de maneira geral sofreu na última década, com produções “for dummies” ou então experiências de Pavlov para testar a audiência… é uma pena mesmo. Torço para que saia um terceiro filme, enquanto, nesse ínterim, continuo revendo meus episódios prediletos em DVD, rs…

      Ah, em breve eu solto a lista dos Melhores Episódios da 2a. temporada.

      Abração,
      Victor Hugo

  2. Esse breve tá demorando. Quando sai a lista da segunda temporada?
    Questão de gosto, mas Darkness Falls é muito ruim! A adaptação em livro é mais interessante, até por que acho que a ideia da história seja boa, mas no episódio da TV ela é muito mal trabalhada e bastante arrastado … os efeitos especiais não ajudam, mesmo em 1995. Episódios como: “Eugene Tooms volta a atacar”, “O homem que não queria morrer”, “Roland” poderiam substituir na lista “Quando a noite cai”.
    Boa sorte na tarefa difícil que é montar uma lista de 10 melhores.
    Abraço!

  3. Vitor!
    parabens pelo post. concordo que esses episodios são os mais legais da primeira temporada. revendo-a nos dvds, dá pra notar mesmo o clima de começo de trabalho tanto dos personagens como dos atores, o que dá mais sabor ainda a essa temporada. Creio que a segunda temporada vai dar mais trabalho pra vc escolher só 10 epis.abraço!

    • Fico feliz que tenha gostado, Elizabeth. De fato, a escolha dos episódios da segunda temporada está complicadíssimo…. Atualmente estou prestes a rever a quarta temporada e já estou percebendo a complexidade… rs. Espero que continue conosco!

      Abração,

      Victor Hugo

Deixe um comentário elegante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s