25 de dezembro de 2008

Hoje é feriado. Feriado é sempre um dia que a gente inventou para não trabalhar, sério, sério mesmo. Nah, que nada de feriado religioso, quase ninguém, até mesmo o mais fervoroso dos religiosos, gasta suas 24 horas ou seus 1440 minutos do seu feriado religioso para orar, que nada, a gente simplesmente não trabalha. Ninguém trabalha nos feriados que nós mesmos inventamos. Sempre achei nós, os humanos, muito espertos.

Mas refinemos a discussão. Primeiro, tem esse lance do trabalho. Nós também inventamos isso. Tem gente que até diz que isso humaniza o homem, ah sim, os marxistas, Marx, Engels e toda a trupe. Sei lá, devem humanizar então, já que eles disseram. Sinto-me realmente mais confortável sabendo que o trabalho então nos distingue dos outros animais, que não trabalham. Não, estes outros não trabalham. As abelhas fazem toda aquela baderna tailorista por causa do mel, mas nem é para conseguir lucro nem nada, então aquilo acho que não deve ser considerado “trabalho”, senão em cada colméia teríamos vários humanozinhos pequenininhos de camisetas listradas fazendo mel. Aí que tá, nós que inventamos esse negócio de trabalhar. E nós também que inventamos os feriados, para não trabalhar. Realmente somos uma espécie avançada.

Como exemplo de feriado, hum, vejamos os mais importantes aqui no Brasil… Bem, Carnaval? É, talvez, deve ser um feriado. Ninguém trabalha. Ah sim, tem muita gente que sai por aí pulando freneticamente com som ou sem som. Mas ninguém trabalha. Mas deixa eu escolher outra data mais legal. O Natal. Adoro o Natal, diz 25 de dezembro, né? Demais. É um feriado, dos grandes. Ninguém trabalha. Bom, o mais legal é que ninguém se incomoda de gastar todo esse tempo livre (isso, livres de trabalho, afinal, trabalho é algo “doloroso”, isso tá no próprio termo, que vem de tripalium, uma espécie de açoite nenhum pouco divertido), essas 24 horas que simbolizam o nascimento do molequinho lá para gastá-las, todas as 24 horas, nos preparativos para a ceia. Destas 24 horas, você deve ter uma jornada de trabalho de 8 horas no fogão, 8 horas para comprar as coisas que estavam faltando e 8 horas para voltar para o fogão e cozinhar tudo o que acabou de comprar que estava faltando. Não pode dormir no ponto, senão queima alguma coisa lá, têm que ficar atento às panelas, sempre. Lá se foram as 24 horas do feriado. Ah sim, desculpe-me, destas 24 horas, ok, você separa umas 3 horas no máximo para comer, afinal, não podemos esquecer da saúde, claro, imagina, já é ruim estar doente quando está no trabalho, imagina desperdiçar todo o seu feriado de cama? Horrível!

Aí no dia 26 de dezembro, bem, todo mundo volta pro trabalho. E aí começa tudo de novo. Aí nós trabalhamos, cada um à sua maneira, e trabalhamos feito uns loucos, o ano inteiro, contando nos dedos os dias para chegar o próximo feriado, tipo o Natal. Aí é como eu disse lá em cima, inventamos esse negócio para não trabalhar. É como eu digo, nós humanos, somos muito geniais mesmo. Mas agora preciso ir e voltar para as panelas senão queima alguma coisa. Bom feriado para você também.

Victor Hugo

2 comentários »

  1. Victor, essa intensa discussão só confirma a minha tese: Vc trabalha demais, mesmo quando ñ está fazendo nada, rsrsrs! Sossegue um pouco a cabeça neste feriado, por favor…
    Ah! Seu texto lembra aquela prosa do pescador com o empresário, vc deve conhecer. Se não conhece, depois a gente proseia sobre ela, hehe! Beijo…

  2. E o que você me diz do feriado de primeiro de maio? Essa foi a melhor sacada nossa, vamos comemorar o dia do trabalho não trabalhando! genial!!
    Mas pensando um pouco agora, não seria tudo culpa dos nossos polegares? aiaiaia
    bj

Deixe um comentário elegante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s